OPINIÃO - POR HUGO DUARTE DA FONSECA

Porto de Luanda em 2013

Com base numa viagem e projecto recente para um Armador com escritório em Luanda - Angola, tive a oportunidade de regressar a esta realidade logística, que tanto contribui para a economia portuguesa e empresas ligadas ao ramo dos Transportes e outras actividades e áreas de negócio que dela se servem e dependem (Construção, Alimentar, etc).

Foi fácil perceber que desde a minha última visita no início de 2010, praticamente há 3 anos, o Porto de Luanda tem hoje outra capacidade e eficiência, apesar de ainda levar em média cerca de 3 dias para operar num dos seus terminais, um navio deste armador com carga contentorizada e rolante, na sua descarga e carga, segundo o que me relataram. Outrora e num passado recente, os navios podiam ter que aguardar 30 dias apenas para poderem acostar e chegavam a aguardar pela sua vez ao largo da baía de Luanda, mais de 50 navios.

ARTIGO PUBLICADO A 13.03.2013 - REVISTA CARGO

Fiquei também a saber que para poder visitar o Porto (sendo estrangeiro), é necessário ter para além de uma autorização para o efeito, também um visto de trabalho, não sendo suficiente o visto ordinário para quem visita o País por curto tempo devido a regras de segurança e de imigração. Curiosamente e comparando com outra realidade, apesar da segurança e das restritas leis americanas, fiz uma visita recentemente ao Porto de Oakland, na Califórnia, com um visto turístico e sem necessidade de qualquer outra documentação.

Outra área que evoluiu tecnologicamente foi também a parte dos despachos e da transmissão electrónica de dados com a Alfândega, sendo possível submeter os manifestos por esta via e de forma integrada com esta entidade aduaneira no seu recente sistema, SIGEMAC.
O Porto dispõe actualmente de cerca de meia-dúzia de terminais, concessionados quer a empresas públicas (por ex., Unicargas, que gere o terminal polivalente), quer a empresas privadas (por ex., Multiterminais, que gere o terminal de carga geral) na baía abrigada de Luanda, com excelentes condições naturais, ondulação fraca e ventos calmos. É o principal porto de Angola, movimentando mais de 70% das importações e exportações angolanas (Petróleo/Crude excluído) aproveitando a sua proximidade dos 5 milhões de habitantes e consumidores da sua Capital.

Retirando o petróleo e minérios o balanço comercial de Angola é por enquanto bastante desequilibrado, tendo a importação a grande maioria do fluxo de carga e ao invés a exportação um volume bastante reduzido, o que praticamente obriga qualquer operador a dimensionar a sua oferta com base neste paradigma. Com o desenvolvimento do País e dos seus sectores primário e secundário espera-se que venha a existir um maior equilíbrio entre as importações e exportações, por via do aumento da segunda e diminuição da primeira, sobretudo nos produtos que possam ser substituídos por aqueles que venham a ser produzidos localmente (nomeadamente produtos agrícolas e alimentares).

Através do acesso ao relatório do INE de Angola, sobre o 1º trimestre de 2012 ao nível das importações e exportações foram apurados os seguintes dados, que destaco:

“De acordo com os resultados registados durante o I Trimestre do ano 2012, a balança comercial teve um saldo na ordem dos USD 14.702.896.000,00 como resultado do comportamento do preço do petróleo, principal produto de exportação de Angola.

O I Trimestre de 2012 face ao período homólogo, registou um aumento do valor total das exportações em cerca de 23,3% enquanto que no mesmo período em análise as importações registaram um aumento de 2,3%.

No quadro 3 observamos os principais Parceiros das Exportações de Angola durante o I Trimestre de 2012 que foram os seguintes: China com cerca de 48,0%; Índia com 10,6%; Estados Unidos da América com 10,5%; Taiwan com 6,3% e Canadá com 4,6%.

Os principais Parceiros das Importações para Angola durante o I Trimestre de 2012 foram os seguintes: Portugal com 19,4%; China com 12,3; Estados Unidos da América com 9,2%; e Brasil com 5,9%; África do Sul com 4,9%.

No quadro 4 observamos que durante o mesmo período o maior volume de importações de Angola foi registado nos seguintes grupos de produtos: Máquinas Equipamentos e Aparelhos com 23,67%; Produtos Agrícolas com 14,63%; Veículos e Transporte com 14,28%; Metais Comuns com 12,90%; Produtos Alimentares com 9,20%; entre os principais.“

Com base nesta informação confirmam-se alguns factos relevantes:

- Desde logo o aumento das exportações, que em muito contribui o petróleo, e que tem como principal importador a China.

- A importância que Portugal tem nas importações de Angola, liderando as mesmas com distância considerável da China.

- O potencial de produção agrícola e alimentar interno na substituição das importações, representando juntas mais de 20% do volume das importações.

Julgo que em função destes dados, continua a ser relevante investir numa maior aproximação de Portugal a Angola, e acordos bilaterais à semelhança do acordo que a Espanha recentemente celebrou com Angola no apoio logístico e aeroportuário, a 5 anos. É importante defendermos esta nossa posição como parceiro económico preferencial de Angola, promovermos e identificarmos novas oportunidades para os dois Países, e aumentarmos o investimento ou co-investimento nos sectores primário e secundário por parte de empresas portuguesas em Angola. Creio que neste aspecto Portugal deve procurar criar mecanismos que facilitem, em termos administrativos, legais e operacionais as trocas comerciais e o relacionamento económico com Angola, para fazermos crescer as nossas exportações para este destino.

Um dos terminais de contentores no Porto de Luanda, é gerido por uma participada de duas empresas, uma Angolana e outra Dinamarquesa (sobejamente conhecida), e tem investido ao longo de sete anos em infraestruturas, sistemas de informação e formação especializada, em cerca de 140 milhões de doláres. Segundo entrevista recente de um dos seus responsáveis, quando receberam o terminal em 2007 a produção andava à volta dos 150 mil contentores/ano, em 2011 houve um acréscimo para cerca de 300 mil contentores e já em 2012 tiveram uma produção de cerca de 450 mil contentores, o que revela bem o ritmo de crescimento e de capacidade de resposta actual do terminal.

A pergunta que deixo é se não seria possível termos empresas portuguesas, individualmente ou em consórcio, a investir nestas operações e concessões emprestando o nosso conhecimento, recursos e sistemas, mantendo uma posição preferencial de parceiro de negócios com Angola também na área Portuária, a par dos Transportes e Logística, e desta forma potenciarmos e criarmos um cluster de capacidade reconhecida no universo lusófono e abrindo portas a outras sinergias e mercados que conhecemos em crescimento.

Para terminar, esta semana num canal angolano ví uma notícia de um acordo estabelecido entre a GE e o Ministério dos Transportes de Angola para fornecimento de um conjunto de locomotivas para a ligação férrea do Lobito e para um contrato de manutenção a longo prazo. Se os americanos vêm a Luanda fechar negócios, é bom que Portugal e as suas empresas se posicionem e não percam as oportunidades de colaboração que ainda existem e que podem alavancar a nossa economia, e que neste momento tanto precisa. O Orcamento de Estado de Angola para 2013, prevê cerca de 69 mil milhões de doláres em despesas, com uma estimativa de crescimento do PIB em 5%.





Data: 2015-01-25

EPL NET

Newsletter

Código de Ética

Logo do PDF

Breves

  • Filipe Nyusi acusa ?falsos empresários?

    O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, disse hoje que os grupos armados que têm protagonizado ataques em Cabo Delgado, no norte do país, são financiados por falsos empresários, alguns do quais já estão presos
    Ler mais...
  • China decreta tolerância zero a casos de corrupção

    As autoridades chinesas decretaram hoje "tolerância zero" para casos de corrupção que envolvem empresas nacionais nas infra-estruturas construídas no âmbito da iniciativa "Uma Faixa, Uma Rota", mas não avançaram com os resultados da fiscalização
    Ler mais...
  • Mal nutrição afecta centenas de crianças

    Pelo menos 539 crianças com mal nutrição foram internadas, durante o primeiro semestre deste ano, na Unidade Especial de Nutrição do Hospital Geral do Bié, das quais 419 já tiveram alta, segundo a chefe daquela unidade hospitalar
    Ler mais...
  • PR rende homenagem aos reis do antigo Reino do Congo

    O Presidente da República, João Lourenço, homenageou hoje, na cidade Mbanza Kongo, província do Zaire, os reis do antigo Reino do Congo, considerando que a ocasião se traduz "no respeito pela cultura e tradição africana"
    Ler mais...
  • Ministros da CPLP reúnem-se amanhã em Mindelo

    O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, participa amanhã , em Mindelo, Ilha de São Vicente (Cabo Verde), na XXIV reunião ordinária do Conselho de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)
    Ler mais...
  • Bancos têm liquidez para movimentar contas em divisas

    O governador do Banco Nacional de Angola (BNA) considerou ontem que os bancos comerciais têm liquidez em moeda estrangeira suficiente para cumprir os prazos e outros parâmetros previstos nas normas que, na sexta-feira, autorizaram a movimentação de contas em divisas
    Ler mais...
  • Câmara dos Representantes condena ?comentários racistas?

    A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou na terça-feira uma moção na qual condena o Presidente Donald Trump pelos ?comentários racistas? dirigidos a quatro mulheres congressistas, sugerindo-lhes que ?regressassem aos seus países de origem?
    Ler mais...
  • Comboio faz viagem turística para Angola

    Cerca de 50 turistas de várias nacionalidades seguem a bordo do primeiro comboio de luxo do operador turístico sul-africano ?Rovos Rail?, que partiu de Dar Es Salaam, na Tanzânia, dia 14 de Julho, com destino a Angola, no âmbito de um safari de comboio transafricano denominado ?Os dois oceanos?, apurou ontem a Angop
    Ler mais...
  • Comité de Defesa vai reunir em Lusaka

    Angola participa, a partir de amanhã, em Lusaka (Zâmbia), na reunião do Comité Ministerial do Órgão de Cooperação Política, Defesa e Segurança da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC)
    Ler mais...
  • Testemunha confirma valores movimentados

    O director-geral do Conselho Nacional de Carregadores (CNC), Catarino de Fontes Pereira, revelou ontem em tribunal que aquela instituição tutelada pelo Ministério dos Transportes arrecadou 77
    Ler mais...

Multimédia

Porto de Luanda - 70 Anos

70 Anos do Porto de Luanda
VII Congresso da APLOP

RÁDIOS
Porto de Luanda recebe o maior navio de sempre na sua história
Porto de Luanda ganha novos equipamentos
Welcome to Angola
MARÉS
saber mais
LONGITUDE: 8º 45 S
LATITUDE: 13º 14 E


Publicidade
Todos os direitos reservados © 2015 Porto de Luanda
Plataforma de Gestão de Conteúdos Astrolábio

Porto de Luanda E.P
Largo 4 de Fevereiro
CX Postal 1224-C1-Angolaredes sociais